o poeta não nega o que escreve

(não importa o nome que assina)

 

trata-se de um poeta talvez démodé

(é sóbrio? é sério? que melodia anuncia?)

mas não tem moldes da velha rima

senão ocultas por descuido

e picardia

 

não chega a ser triste

o descontentado poeta:

faz chistes de avesso azo

faz armadilhas de poesia

(e mesmo que não haja hoje

quem delas ria

caça palavras que esperam

aguardam escapar

de dicionarizada agonia

 

(poemas são curvas que os fatos fazem

espasmos

entre a memória e a memorabilia

:

escorrendo dos dedos aos olhos ouvidos

poemas possuem visgo de oftalmofonia

ultrapassam

singulares e simples

qualquer fantasia)

Anúncios