BREVIÁRIO OCCIDENTIA


um livro não nos livra de nenhuma lavra. não nos leva a ser mais leves, não nos lava a alma parva. um livro é um bicho vivo: às vezes sorrateiro, às vezes sonolento (às vezes lento que só, lendo), às vezes perigoso, às vezes atento. nunca um fato feito (fátuo), embora semelhando o fulgo que nos tange — e tangencia — : o horrororrinoceronto-logo-logista : eco que se rei(g)nicia. não diga que eu não avisei.


MAS A IMAGEM TAMBÉM QUEIMA OS OLHOS

 

a quem me ajudar possa: um poema é só um poema: não rima com Ulisses, não prima por Helena. não tem a menor — nem mesmo a mais pequena — idéia do que vale a pena. é um poema, apenas. sua voz é serena ou ataca o descampado ameno? não se dá, assim de cara, a nenhum juízo pleno: continua sendo energúmeno fenômeno: se muito, somenos.